Para alguns foi revoltante a notícia de que a New Line Cinema havia ressuscitado para os cinemas o renomeado livro de Stephen King “IT”.

Cary Fukunaga, diretor de Jane Eyre e True Detective, tomou a frente da produção colocando Will Poulter (As crônicas de Nárnia) como o palhaço Pennywise, quando li sobre isto fiquei muito preocupado por ser um ator tão novo em um papel tão forte.

Até então King não havia se pronunciado sobre a nova adaptação até alguns dias atrás, ele compartilhou em seu twitter o seguinte: “O remake de IT pode estar meio morto, mas sempre teremos o Tim Curry” afirmando que está na dúvida sobre a produção. “Ele ainda está vagando nos esgotos de Derry”, continuou.

E ai acontece a reviravolta, Cary Fukunaga, não será mais o responsável pela nova adaptação do livro IT. Segundo fontes informaram ao The Wrap, Cary decidiu deixar o projeto após a New Line insistir em cortes no orçamento inicial de US$ 30 milhões.

Decidido a não comprometer seu conceito artístico por questões financeiras, ele comprou briga com o estúdio e acabou abandonando tudo após uma série de embates infrutíferos.

Idealizado pela Warner, o projeto da nova adaptação dividida em dois filmes foi adquirido recentemente pela New Line e aparentemente aí surgiram os problemas. A insistência de Fukunaga em filmar em Nova York – locação bem cara – teria sido um dos fatores determinantes. O diretor queria contar com Ben Mendelsohn no elenco, mas o ator recusou por questões salariais. Will Poulter estava confirmado para estrelar os filmes interpretando Pennywise, mas agora o projeto foi adiado por tempo indeterminado.

Cary Fukunaga escreveu roteiros para as duas partes da adaptação, mas caso o filme volte a ser produzido com outro diretor é provável que a ideia da divisão seja abandonada e apenas um longa seja feito. A obra de Stephen King ganhou as telas anteriormente em It – Uma Obra-prima do Medo.

Vamos aguardar!

pennywise

Geminiano em todos os aspectos, amante do suspense e mistério em todas as formas do entretenimento. Como um bom fã de Stephen King levo em meu coração as palavras de um pistoleiro a procura do seu Katet. "Eu não mato com a arma; Aquele que mata com a arma esqueceu o rosto do pai. Mato com o coração."