O remake de 2013 é brutal, mas não podemos nos esquecer do clássico oitentista que nos arrepiou muito antes deste.

 

Evil Dead 1981

 

Evil Dead” (no Brasil traduzido como “A Morte do Demônio”) será lançado por aqui no próximo dia 19 de abril. O filme promete fazer seus expectadores ficarem literalmente de cabelos em pé, dando mostras de que será violentíssimo e que, se você não for de óculos para a sessão, não vai conseguir enxergar nada com os litros de sangue que lhe espirrarão no rosto.

 

Mas não podemos nos esquecer: este é um remake (ou uma regravação se não gostar dos termos americanizados) do clássico “Evil Dead” de 1981 (aqui no Brasil conhecido pelo título “Uma Noite Alucinante – A Morte do Demônio”), que hoje alcançou o status de filme cult/trash absoluto.

 

 

(Ah, não liguem para a tal da “rica mulher” no final do trailer – ela não importa para a nossa história!)

 

Pra você que nem sabia disso, vai assistir à versão 2013 sem nunca ter visto o original? Pois para que isso não seja completamente verdade, vamos falar um pouco sobre esta pérola do passado que ainda hoje aterroriza os sonhos de muitos fãs.

 

Dirigido por Sam Raimi, “Uma Noite Alucinante – A Morte do Demônio” conta uma história que lembra vagamente a da nova produção. Nela, cinco jovens americanos vão passar um final de semana descontraído em uma cabaninha abandonada no coração dos bosques mais profundos do Tennessee. Não muito tempo depois de chegarem no bangalô nada confortável, eles encontram um estranho e bizarro livro jogado no porão – uma obra extremamente bizarra, que aparenta ter sido encapada com pele humana verdadeira!

 

Sem terem a menor ideia de que na verdade estão com o “Naturon Demonto” em suas mãos (uma versão suméria do famoso “Necronomicon Ex Mortis” – o livro dos mortos), eles logo fazem outra descoberta no escuro porão: um gravador contendo relatos de um pesquisador que, ao que parece, foi o morador daquela cabana. Ele estudava o macabro livro, e narra detalhes de seu conteúdo, o que faz todos os jovens ficarem apavorados.

 

2

 

Mas como sempre há um assim no grupo, o curioso continua a ouvir a gravação… Até que o pesquisador relata que conseguiu traduzir uma das passagens do Naturon, a qual ele conclama a todo o fôlego. Embora aparentemente nada aconteça em um primeiro momento, logo os incautos visitantes vão descobrir que um terrível mal foi liberado com aqueles ritos – e que todos estariam marcados para morrer das formas mais trágicas e violentas imagináveis!

 

O filme, a partir dai, vira um dos mais arrepiantes contos de terror já gravados. Possessões demoníacas começam a se abater sobre os inocentes jovens que vão se transformando em verdadeiras crias do inferno, monstros cuspidos pelo próprio demônio. Apenas um dos jovens consegue resistir à maldição, e ele viveria para se transformar em um verdadeiro ícone da cultura pop/trash até os dias de hoje: o icônico Ashley “Ash” Williams (interpretado pelo bonachão Bruce Campbell, amigo de infância do diretor Sam Raimi). Sozinho diante de tantas desgraças, Ash deve tomar coragem e destruir seus amigos feitos criaturas das trevas antes que estes o matassem – ou ainda pior – o transformassem em um deles!

 

Entre estes jovens, estão Cheryl e Linda – respectivamente a irmã e o grande amor de Ash. Não será nada fácil para ele dar cabo de pessoas tão importantes e queridas… Mas quer saber do que mais? Neste thriller não há lugar para dramas!

 

Este “Evil Dead” de 1981 é, na verdade, um terror trash e visceral com pitadas (as vezes nada sutis) de humor negro. Na verdade, em vários momentos do filme podemos até soltar uma risada ou outra – e estou falando de momentos que passam-se após as coisas caírem no caos total! E tudo principalmente graças à atuação de Campbell como o protagonista Ash Williams, um cara visivelmente atrapalhado, desastrado e até um tanto quanto inocente. Em suma: o menos indicado dentre os jovens na cabana para ser o sobrevivente que salva o dia!

 

3

 

Vale lembrar que o personagem Ash de fato virou um ícone nerd em produções futuras. Ele participaria muito mais tarde da minissérie “Marvel Zombies”, onde os super-seres da Marvel enfrentariam uma epidemia de mortos-vivos. Este ciclo foi chamado “Marvel Zombies vs. Army of Darkness”, e é completamente imperdível para fãs de quadrinhos e cultura zumbi. Já o próprio filme ganhou versões em games para consoles como o PSone, Playstation 2,  Xbox e até mesmo Dreamcast – todas trazendo como protagonista o já querido personagem de Bruce Campbell.

 

Se você tiver a chance de assistir a esta pérola oitentista que inspira humor, terror e nojo em níveis épicos, não deixe de fazê-lo. Apenas pondere o que seria melhor: assisti-lo antes da nova versão ou após esta, pois comparações serão fatais e inevitáveis. Porém prepare-se bem: assistir a ambos é aceitar uma tremenda dose de sanguinolência e brutalidade de uma única vez!

 

O Zumbicast estará na première do filme no próximo dia 16 de abril, e lá realizará um grande evento – não perca a pós-cobertura aqui no site!

 

Termino com um comparativo bastante interessante: veja abaixo a mesma cena tanto na produção de 1981 como na de 2013… E escolha o seu veneno mais forte!

 

foto_materia_Mia

 

Geminiano em todos os aspectos, amante do suspense e mistério em todas as formas do entretenimento. Como um bom fã de Stephen King levo em meu coração as palavras de um pistoleiro a procura do seu Katet. "Eu não mato com a arma; Aquele que mata com a arma esqueceu o rosto do pai. Mato com o coração."