Esta procurando uma leitura simples, rápida e que vá direto ao ponto? Claro, sem nos esquecer dos arrepios na espinha e aquela sensação de que não estamos sozinhos em casa enquanto lemos? Pois conheça o genial “9 Contos”, de Rodrigo Soares Capela.

Img1

Depois de resenharmos livros que trazem mega-sagas e que nos mergulham em complexas tramas, hoje vamos à uma leitura mais casual e que com certeza vai atrair mesmo os que torcem o nariz para livros em geral. Afinal, mesmo dentre aqueles que não curtem muito uma boa leitura, ainda encontramos os que não dispensam uns bons arrepios e aquele tão estranhamente amado sentimento de medo.

Isso acontece pois o livro-debut do autor Rodrigo Capela não tem mais que 150 páginas, e dentro destas traz nada menos que nove contos distintos – casa um destes com narrativas bem diferentes e sem qualquer ligação entre um e outro. A proposta de Rodrigo foi exatamente a de levar aos leitores diferentes medos através de lendas e mitos variados – alguns já conhecidos pela humanidade à séculos.

Então prepare-se pois tem de tudo: de sereias devoradoras de humanos à aparições fantasmagóricas e atormentadoras. Contos que as vezes nos levam ao mistérios do Brasil, outras para os confins da Europa. Que podem relatar fatos recentes assim como também nos remeter a muitas décadas atrás… Enfim, o autor realmente faz uma salada cultural de mitos e folclores, mantendo a peteca no ar durante roda a leitura.

Ainda que o livro seja curto e possa ser finalizado sem pressa em apenas uma tarde, eu desaconselho que “9 Contos” seja aproveitado desta maneira. Guarde cada um dos contos para momentos em que mais sentir-se sozinho em casa ou seja lá onde estiver. O ambiente no meu caso (silêncio e solidão ao cair da tarde) foi decisivo para que eu pudesse aproveitar a obra ao máximo – fica aqui minha recomendação.

Img2

“9 Contos que não se deve ler à noite” está disponível pelo selo Baraúna e, como já dito, é a estreia do autor Rodrigo Soares Capela no mundo dos contos de terror. Isto torna a leitura ainda mais única e com certeza bastante interessante.

Mas apesar do aviso, eu aconselho que quebre as regras sobre não lê-lo à noite: desafie-se, apanhe o livro minutos antes de dormir e aventure-se em um dos muitos contos (meu favorito foi o sexto, com certeza). Certas regras são deliciosas quando quebradas.

Geminiano em todos os aspectos, amante do suspense e mistério em todas as formas do entretenimento. Como um bom fã de Stephen King levo em meu coração as palavras de um pistoleiro a procura do seu Katet. "Eu não mato com a arma; Aquele que mata com a arma esqueceu o rosto do pai. Mato com o coração."